Respiros

Renove
O que te move
Pra fazer da presença
Estrada livre a percorrer
E ainda que queiras
Viver sempre o mesmo
Repare que tu mesmo
Não é o mesmo que achou ser

Imagem: Pinterest

Recria
O que te inspira
Pra fazer da beleza
A simplicidade do teu ser
E ainda que insista
Em ver a vida com dureza
Repare que a beleza
É maior que o que se vê

Celebra
A tua entrega
E faz da confiança
A linguagem do viver
E ainda que a descrença
Apareça ao meio-dia
Repare que a alegria
Sempre espera por você

Key Dias
Índia — Fevereiro/2019

Andarina (Livro Travessias)

“Pra sempre é sempre boa hora
No breu da noite, no clarão da aurora
Se a estrada convida a senhora
Cantando essa canção estradeira
Pra comemorar a passagem
De uma alegria derradeira…”
(“Luzia” – Ozuê)

Entre vãos e veredas do Cerrado, conheci Dona Alma, cantando batuque em festejo no sertão. Seus olhos, repuxados e verdes feito rio, contrastavam com a pele preta acobreada do sol rebatido da areia branca. Parecia espelho vivo da miscigenação brasileira que corre em minhas veias. Nos seus olhos, via minhas avós, minha mãe, minhas antepassadas que ninguém sabe dizer quem são. Todos ali, andarinas.

Ilustração: Nara Oliveira

Fui atrás de sua história. Me contaram. Nem por distância, nem por necessidade, Dona Alma era uma andante porque o caminhar era seu lugar de poder. Ainda que a casa lhe demandasse trabalho ou a descendência quisesse colo, sempre, todo dia, arranjava tempo de travessear. Cumpria tudo que a moralidade normatizava para uma senhora camponesa e, ainda assim, seguia. Nem patrão ou marido a fizeram parar. Nasceu para o mundo!

Caminhando, sorria na liberdade do encontro, seja com bicho, com planta ou com gente. Só o tempo de seus mais de 80 anos haverá de saber o que presenciou nas procissões diárias que a nutrem de vida. Vinte filhos, tantos netos. Havia quem jurasse que era cigana. Pudera! Colorida e cantante, andava, andava e cantava. Mas sempre voltava para casa na hora que lhe cabia certa. Seu caminhar, misturado com dança, parecia trupé de criança saltitando pelas capoeiras da mata. Batia caixa em dia de Folia e nunca lhe faltava cantiga nova pra versar…


Trecho da prosa poética “Andarina”, disponível no livro Travessias: poesias e prosas no chão das tradições.

Este projeto foi realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC-DF) e publicado através de financiamento coletivo pelo site Benfeitoria.

 

Livro: Atraverso

Atraverso percorre a existência, desaversando nossa saga de ser gente. Uma tradução poética das entrelinhas, emoções e sensações que nos afoga entre o chão e o céu. Como uma escrita mística e ao mesmo tempo visceral, a autora parece querer falar diretamente com nossa alma, narrando ancestralidades, reflexões e voos atemporais.

Chiado Editora | 2018
Ilustrações de Nara Oliveira
Financiando coletivamente no Benfeitoria
Informações de venda AQUI

 

Livro: Travessias

Nós somos filhas e filhos do fio ancestral que não cessa de parir.
Nós somos a lua da velha que sangrou na terra e benzeu o mundo,
somos os pés descalços do velho que contou histórias do tempo.
Nós somos os batuques que tocam pela eternidade,
somos a viola e o verso na voz do trovador.
Nós somos o cântico dos cânticos da floresta
e o balanço sincero do colo das Yabás.

.
É na trama caminhante dos encontros pelo Brasil Profundo que nasce o livro Travessias – poesias e prosas no chão das tradições. Na obra, a autora taguatinguense Keyane Dias, filha e neta de nordestinos, versa sobre vivências no chão de culturas tradicionais e na busca por relembrar os fios cortados da sua própria ancestralidade, mestiça feito nosso país. São poesias e prosas inspiradas naqueles e naquelas que tecem sonhos reais entre cerrados, sertões, gerais, matas e litorais.

Obra independente, desenvolvida com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do DF (FAC-DF) e impressa através de financiamento coletivo no site Benfeitoria.

Ilustrações de Nara Oliveira
Ano de publicação: 2018
Informações de venda: AQUI


Chegança

A licença aqui vos peço
Minha palavra quer passar
Aos antigos versadores
Peço bença pra chegar
Sou mulher de poesia
E, com ela, todo dia
Escrevo pra assuntar

Aqui, trago memórias
De paragem e comunhão
Travessias que percorrem
Saberes de tradição
Raízes de nossa gente
Essência sempre presente
Semente que dá no chão

Sou filha desse Brasil
Onde o mundo se mistura
Faço do mundo escola
Faço de escola a cultura
Desde o fio do Nordeste
E do Cerrado que veste
O nascer de minha feitura

Meu Lunário Perpétuo
É impresso a cada dia
É oráculo de encontros
É livro que o tempo cria
Desde o umbigo do mundo
Renasce todo segundo
Aquilo que principia

E entre sertões e asfaltos
No desvão das memórias
Em caminhos anônimos
Traçando trajetórias
No simples busco a fonte
Onde eu mesma sou a ponte
Sou o laço das histórias

Lançamentos: Atraverso (Chiado Editora) e Travessias (FAC-DF)

É chegada a hora! Após quase dois anos de edição e uma linda campanha bem sucedida de financiamento coletivo, lanço neste mês de dezembro meus dois livros estreia: Atraverso (Chiado Editora) e Travessias (independente / FAC-DF). Nas obras, ancestralidade, sagrado, tempo, tradições e terra permeiam palavras e silêncios. O lançamento é dia 21/12 (sexta-feira), às 19h, na Livraria Sebinho.

Essas duas obras celebram 10 anos de escrita e meu aniversário de 30 anos, que chega no dia 19 de dezembro. Essa caminhada inicia-se já na adolescência e toma corpo a partir de 2007, quando ingresso na faculdade de Jornalismo. Lá, crio o blog Além das Paredes, iniciando a escrita de crônicas. Depois, a poesia me incorpora e começo a ver e traduzir o mundo através de versos, dando luz ao Aflora, aos zines Desaverso e Útera e ao cordel Benzadeus!. Estrada trilhada passo a passo!

E por quê dois livros?
O desenvolvimento da obra independente Travessias – poesias e prosas no chão das tradições contou com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do DF (FAC-DF). No decorrer da feitura, percebi que no processo de edição nasciam dois livros distintos, irmãos gêmeos não idênticos. Gestei, separei as novas poesias, as prosas e os versos já existentes para dar a luz ao segundo livro, intitulado “Atraverso”, o qual será publicado pela Chiado Books.

As duas obras contam com ilustrações da designer Nara Oliveira (Estúdio Gunga), amiga de longa data e parceira em dezenas de projetos envolvendo Comunicação e Culturas Tradicionais. Além das ilustrações, Nara também assina o design do livro Travessias.


SOBRE AS OBRAS

Atraverso
Atraverso percorre a existência, desaversando nossa saga de ser gente. Uma tradução poética das entrelinhas, emoções e sensações que nos afoga entre o chão e o céu. Como uma escrita mística e ao mesmo tempo visceral, a autora parece querer falar diretamente com nossa alma, narrando ancestralidades, reflexões e voos atemporais.

Travessias
É na trama caminhante dos encontros pelo “Brasil Profundo” que nasce o livro Travessias. Na obra, a autora taguatinguense Keyane Dias, filha e neta de nordestinos, versa sobre vivências no chão de culturas tradicionais e na busca por relembrar os fios cortados da sua própria ancestralidade, mestiça feito nosso país. São poesias e contos inspirados no passo daqueles e daquelas que tecem sonhos reais entre cerrados, sertões, gerais, matas e litorais.


SERVIÇO

Lançamento dos livros de estreia da poeta Keyane Dias

Dia: 21.12.18 (sexta-feira)
Hora: de 19h às 21h
Onde: Livraria Sebinho – CLN 406 | Asa Norte
Entrada: Franca
Classificação indicativa: Livre

Mira

.

46507295_1900296153351966_7347452548141285376_n
Autoria desconhecida. Via Pinterest

Sagitário
Hora de não duvidar
Flechas certeiras
Se lançam no ar

Sagitário
Expansão em potência
Liberdade na mira
Aventura e ciência

Key — 22.11.18

Dois livros vindo aí!!!

Salve, gente. Ando sumida. Muitas coisas acontecendo na vida e muito trabalho para materializar alguns sonhos, como o sonho de publicar um livro. E, hoje, passo aqui para agradecer a todas e todos que contribuíram (de vários jeitos) na campanha de financiamento coletivo para publicar meus dois livros de poesia. DEU CERTO!!!

Ao todo, arrecadamos R$ 8.985 dinheiros! Com esse valor, vou publicar o ‘Atraverso”, pela Chiado Editora, e também vou custear parte da impressão do livro independente “Travessias”. São mais de 10 anos de escrita e a publicação desses dois livros celebra meus 30 anos, que tão chegando, e o percorrer de novos caminhos que se abrem e de novas escritas que nascem e me atravessam.

Agradecimento especial à minha família, que deu um super apoio em vários momentos; à querida Nara Oliveira, por nossa parceria fina entre palavras, cores e formas. Ela assina as ilustrações dos livros. E também ao pareia Davi Carvalho de Mello, por todo seu apoio na divulgação desse sonho cheio de movimento. 🌷

Foram 110 benfeitores!!!!! É tanta gente que me perco de alegria. Fazer uma campanha de financiamento coletivo foi uma das experiências mais lindas que vivi. É muito amor envolvido. As pessoas realmente acreditam em sonhos e apoiam, não só com $$, mas com palavras, com incentivo, com reconhecimento verdadeiro. Uma prova da esperança que nunca perdi na nossa humanidade. Em tempos difíceis, compartilhemos nossos sonhos!

E a todxs que contribuíram, minha eterna gratidão!!! Logo logo, os livros estarão publicados e chegarão até vocês com muito amor! Confira o sucesso da campanha.