Terra Vista

.
Em dezembro de 2013, tive a oportunidade de conhecer o Assentamento Terra Vista, localizado em Arataca (BA). Chegamos devagar, eu e mais dois amigos, para participar da II Jornada de Agroecologia da Bahia e auxiliar na comunicação do evento. Mais que um pouso e um momento de trabalho, os oito dias que passamos ali foram uma escola. Uma escola livre, popular, viva, aterrada.

Lá, assentados, quilombolas, indígenas, universitári@s, crianças, mulheres, velh@s, natureza, trabalho, arte… Tudo parece uma coisa só. Muito além do discurso e de teses acadêmicas, a construção se dá no dia a dia, no sonhar, no fazer, no ousar, no plantar. É forte também a presença e o protagonismo das mulheres, em várias frentes do Assentamento e da rede que se forma na Bahia, a partir da Agroecologia.

Até ali, havia conhecido apenas um assentamento do MST, aqui pelas bandas do Goiás. Mesmo assim, ainda era pouca minha percepção do que é o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra. Foi no Terra Vista que compreendi, na convivência e na oralidade, a força, a união e a ancestralidade que move os assentados e os povos tradicionais que lutam pelo direito à terra.

1509066_597556353625959_1957155826_n

Momento da colheita e sepação das sementes e do mel do cacau.

Mais que a luta por território e contra a opressão capitalista, o Assentamento Terra Vista é referência em produção agroecológica e conservação ambiental. O carro-chefe é a produção de cacau orgânico e do Chocolate Artesanal Terra Vista, um dos mais gostosos que comi, por sinal! A própria história de formação do assentamento envolve a recupeção de áreas degradadas e a conservação da Mata Atlântica, a partir de um trabalho contínuo de educação e mão na terra.

A seriedade do trabalho é refletida em várias conquistas, como os dois centros educacionais que funcionam no assentamento, inclusive com pós-graduação na área de Agroecologia: Centro Integrado de Educação Florestan Fernandes e Centro Estadual de Educação Profissional do Campo Milton Santos.

Ação da Rede Mocambos em Taguatinga, para divulgar as ações do Terra Vista, durante a Eco Feira do Mercado Sul.

Ação da Rede Mocambos para divulgar as ações do Terra Vista durante a Eco Feira do Mercado Sul, em Taguatinga (DF).

As conexões continuam, com encontros e reencontros. Gente de cá que vai, gente de lá que vem. Em homenagem a esse povo que tanto me ensinou e me ensina, fiz o poema abaixo:

Terra Vista

Natureza roubada
Pela união, replantada
Vence a fome e o poder
Faz o povo renascer

Da semente ao cacau
Pé na terra espanta o mal
Mulher, homem e criança
Alma forte, não se cansa.

Caminha sem temer o dia
Semeando agroecologia
Indio, negro, branco, povo
Se ainda roubarem, lutamos de novo

Porta aberta, abraço apertado
Cabe um, cabe um bocado
Água canta: Terra Vista
É respeito a nossa conquista.

Keyane Dias – Olivença (BA)
18.12.2013

* * *

Mais sobre a Jornada:
http://jornadadeagroecologiadabahia.blogspot.com.br/

Mais sobre o Assentamento:
http://jornadadeagroecologiadabahia.blogspot.com.br/2013/12/conheca-o-assentamento-terra-vista.html

O mano Angel Luis, que fez a ponte que me conectou ao Terra Vista, editou um doc muito bom, sobre o Assentamento e a Jornada. Vale muito conhecer e ouvir o que elas e eles têm a dizer:

Um comentário sobre “Terra Vista

  1. Pingback: Agrotóxico: o veneno não está só na mesa |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s