Temperança

.
Nos recônditos de ser,
cavo a temperança
das manhãs de domingo.

Labor incessante,
caminho estreito
do silêncio esquecido.

Que sentido faz
em repetir o que jaz
ser tão falido?

Na roda da ilusão,
até o mais são
fica enlouquecido.

As aparências
das aparências
criam nova roupagem.

E o apego
de seguir com medo
atrapalha a viagem.

Sou viajeira,
‘estrangeira num mundo’
que é só de passagem.

Aceitei a missão,
para abrir a visão

indo além da miragem.

Key Dias — 29.04.2017

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s