AFLORE-SE: Oficinas Populares de Ayurveda

.

Edição 1: Saúde – um caminho de prática, autonomia e autocuidado

Originária da Índia, Ayurveda é um milenar sistema de cura e bem-viver. Uma medicina ancestral sistematizada em escrituras poéticas por sábios observadores da natureza, a partir de milhares de anos de oralidade. Essa Ciência da Vida, reconhecida como prática integrativa pelo SUS em 2018, se conecta com as medicinas ancestrais do Brasil e de onde for, compreendendo que mente, corpo, alma, ambiente, cultura e universo estão essencialmente interligados, formando indivíduos únicos.

Ayurveda tem como base os cinco grandes elementos, chamados de panchamahabhutas: éter, ar, fogo, água e terra. É no estudo desses elementos em nós que o entendimento sobre a vida, a prevenção e o tratamento ayurvédico iniciam. Ayurveda não trata doenças, trata pessoas. Uma ciência simples e profunda, que propõe autocura, autorresponsabilidade e conexão com a natureza, onde você estiver.

Quer saber como? Venha participar das Oficinas Populares de Ayurveda. A proposta é popularizar os saberes dessa sagrada ciência para além dos grandes centros, abordando a prática de suas bases que permitem compreender mais sobre nós mesmos.

A primeira edição é no dia 24 de maio, sexta-feira, na Lila Casa Colaborativa, em Taguatinga. Te espero lá!

SERVIÇO
Oficinas Populares de Ayurveda
Edição 1: Saúde – um caminho de prática, autonomia e autocuidado

Local: Lila Casa Colaborativa
Endereço: QNJ 13 Casa 36 – Taguatinga
Dia: 24 de maio (sexta)
Horário: 19h às 22h
O que levar: caderninho, caneta/lápis e um lanche saudável para compartilhar. Serviremos chá!

Contribuição sugerida: R$ 20
Inscrições: 61 9.8575.8500


Facilitação – Keyane Dias

Terapeuta Ayurveda formada pela Escola de Ayurveda, com treinamento de imersão no centro de estudos do Arya Vaidya Pharmacy, em Coimbatore, Sul da Índia. Instrutora formada em Hatha Yoga Vinyasa, Yogaterapia Hormonal para Mulheres e praticante em formação do método Iyengar Yoga. Iniciou seus estudos sobre o corpo em 2011, através da Capoeira Angola, vivenciando com diferentes mestres e mestras pelo Brasil. É poeta e compartilha a escrita como ferramenta de autocura, tendo publicado dois livros e o cordel “Benzadeus”, que versa sobre as mestras e os saberes da benzeção, ervas e parteria. Atua também como jornalista cultural na Pareia, onde divulga saberes e culturas tradicionais do Brasil.