Financiamento coletivo para publicar dois livros

Saudações, queridxs leitorxs!

Andei sumida aqui do blog e escrevendo um pouco menos para focar na editoração de um livro de poesias. Nesse processo, que foi de grandes aprendizados sobre ser escritora e sobre mim mesma, descobri que não tenho um, mas tenho dois livros para compartilhar com o mundo. Suei, trabalhei intensamente e, enfim, eles estão quase prontos.

Um será impresso de forma independente e se chama Travessias, onde apresento poesias nascidas de vivências com as culturas tradicionais do Brasil, escritas, a maioria, na métrica da poesia popular. O outro, chamado Atraverso, será publicado via Editora e é recheado de poesias em versos livres, conectadas com o silêncio, o sagrado, o tempo e a existência.

Para publicar as duas obras, criei uma campanha de financiamento coletivo no site Benfeitoria, onde você pode doar a quantia que desejar para colaborar com este sonho e, em contrapartida, receber recompensas maravilhosas na sua casa. Entre as recompensas, estão os próprios livros. É como uma pré-compra exclusiva das obras.

Para conhecer a campanha, colaborar e conferir as suas recompensas, é só acessar: www.benfeitoria.com/keyanedias

São quase 10 anos de escrita, oito anos de blog e três anos de autopublicação via zines e cordel. Agora, sinto que é hora de amadurecer o trabalho. Sinto no coração que a escrita está conectada com meu propósito de vida e, com coragem e entrega, me lanço nesse desafio de publicar duas obras. Há novos caminhos a percorrer na escrita e na vida e sinto que está na hora desses livros nascerem.

Conto com a colaboração de meus leitores, da família, dos amigxs e daqueles que apreciam a poesia e sentem o chamado de apoiar uma jovem autora. Ficarei honrada de enviar os livros em suas casas, com exclusividade e dedicatória do coração. Assista o vídeo abaixo e saiba mais sobre essa história!

Compartilha, me apoia! Conto com vocês!!

O dia

.
Dia do Fim? Dia do Recomeço?? Um Dia Como Qualquer Outro??? Não importa a crença ou a descrença!!

“Você acha que isso é apenas mais um dia na sua vida. Não é apenas mais um dia. É o dia que é dado a você. HOJE. Ele é dado a você. É um presente. É o único presente que você tem nesse exato momento. E sua única resposta apropriada é a GRATIDÃO. Se você não fizer mais nada e apenas cultivar essa resposta para o grande dom que este dia único é, se você responder como se fosse o primeiro dia da sua vida e o último dia, então você vai ter passado o dia de hoje muito bem…”

Publicado no antigo Além em 21.12.12
.

Deus, segundo Spinoza

.
“Para de ficar rezando e batendo no peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.

Para de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa.

Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.

Para de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau.

O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.

Para de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho… Não me encontrarás em nenhum livro!

Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?

Para de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.

Para de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz… Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?

Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.

Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção à tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.

Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.

deusdentro1

Ilustração: Alex Gray

Eu te fiz absolutamente livre. Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro.

Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.

Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não houvesse. Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei.

E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste… Do que mais gostaste? O que aprendeste?

Para de crer em mim – crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti. Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.

Para de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?

Aborrece-me que me louvem. Cansa-me que agradeçam. Tu te sentes grato?

Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Te sentes olhado, surpreendido? Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.

Para de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações?

Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro… aí é que estou, batendo em ti.”

Baruch Spinoza (1632, 1677 Haia – Holanda)

Publicado no antigo Além, em 28.02.12
.