Raiou

Quando a Lua reflete cheia
a luz e a sombra das águas que sou,
transbordo a escolha feita: curar-me!

É quando morre a lágrima
e a dor pode então ser quem é:
o Sol de dentro querendo brilhar.

Key Dias — 10.06.2017

Ilustração: autora desconhecida

Lua vermelha

Juliaro-9
Ilustração: Paloma Ilustrada

Lunar é a revoada das minhas emoções
O passeio mensal da minha seiva

Do meu corpo à terra
Do meu ventre à superfície

Seiva rubra, quente: sangue

Como podem chamá-lo de impuro?
Se é dele que germina a vida

Mesmo que alguns se esqueçam
Todos beberam do sangue do ventre
de suas mães

Não compro o discurso da indústria
Tão pouco do patriarcado

Meu sangue a mim pertence
A mim e à Lua, que sempre o leva a passear.

Keyane Dias29.10.14