ESCRITURAS

Às que recebem a luz

.
A qualquer hora
Elas ouvem o chamado
Caminhando lado a lado
Com a fé e a coragem
Altar firmado
Em rezo e com ciência
Recebem com paciência
Almas que pedem passagem

São feiticeiras
Curandeiras dos agoras
Cuidadoras das auroras
E das noites de acolhida
Filhas da Lua
Cientistas da intuição
Presença que dá a mão
À mulher que gera a vida

Son las comadres
Que renovam a linhagem
De toda mulher selvagem
Que não teme a escuridão
Pois quando a luz
Abre o mistério do mundo
Até o medo mais profundo
Se rompe na criação

Sabedoria
Em sentir bem o limite
Que a natureza permite
À história de cada ser
Da Mãe Antiga
Recebem essa ‘sabença’
E com ela dão a ‘bença’
A quem vem aqui viver

São professoras
Que estudam a natureza
E aprendem com inteireza
Sobre a morte que é nascer
Que sigam fortes
Partejando a própria vida
Com a alma destemida
E a mestria a florescer.

Maio / 2020


Com elas, aprendo que viver e morrer é uma mesma nota, em diferentes tons. É o mesmo OM, expandindo e contraindo, desavessando o mapa antigo da existência. Com elas, aprendo sobre coragem, confiança, magia, ciência e concentração. Aprendo que perfeito é tudo o que é feito com o coração. Aprendo sobre encarar desafios e aceitar quando se sabe que não se dá conta. Aprendo sobre humildade e sobre a umidade de ser água, mesmo quando terra, fogo, ar e éter também são.

Sou cercada por elas há alguns anos, não sei se por acaso do destino ou das memórias que vou parindo aos poucos. Mas sei que esse cordão umbilical me atravessa, de algum jeito.

ESCRITURAS

A dádiva do ventre

.
Dedico essa poesia a todas as mães. Guerreiras agraciadas com a dádiva de parir a vida. Em especial, a minha mana Mariana Almeida, Senhora Verde, a quem pude acompanhar de perto toda a gestação. Dedico também à minha mãe, minhas avós, tias, primas e todas as mamães. E a mim. Porque sempre senti o ninar batendo no meu peito!

Dádiva de mulher
Pra quem o bem quer
Talvez nem ela saiba
O quão forte sua alma é

Afago de jovem
No peito da mãe
Sabedoria de velha
Que o amor compõe

Não temas
Não olhe pra trás
O que você já viveu
Não precisa mais

Olhar curioso
Pro mistério da vida
A história recomeça
Nela você foi parida

Abraça seu anjo e confia
Abençoa seu ventre e cante
Sustenta a missão e sorria
É fértil o passo adiante.

Key Dias – 30.12.12

Imagem: Amanda Greavette
Imagem: Amanda Greavette

.